CRISTÃOS MASSACRADOS – Paquistão inicia caçada a autores de ataque que matou dezenas

Familiares choram a morte de vítima de ataque perto de parquet em Lahore, no Paquistão, que aconteceu no domingo (27) (Foto: Mohsin Raza/ Reuters)

Autoridades paquistanesas estão em busca nesta segunda-feira (28) de membros de uma facção do Talibã, leal ao Estado Islâmico, que reivindicou a responsabilidade por um ataque suicida contra cristãos que deixou 72 mortos, de acordo com a France Presse. A CNN indica que 341 ficaram feridas. (Familiares choram a morte de vítima de ataque perto de parquet em Lahore, no Paquistão, que aconteceu no domingo (27) (Foto: Mohsin Raza/ Reuters)

Ao menos 29 crianças que aproveitavam o domingo (28) de Páscoa foram mortas quando um homem-bomba se explodiu em um parque movimentado na cidade de Lahore, base de poder do premiê Nawaz Sharif.

“O homem-bomba detonou os explosivos perto da área onde as crianças brincavam nos balanços”, afirmou Muhamad Usman, funcionário do governo da cidade.

“Executamos o ataque de Lahore e os cristãos eram o nosso alvo”, afirmou Ehsanullah Ehsan, porta-voz da facção Jamaat-ul-Ahrar, antes de prometer mais ataques contra escolas e universidades, de acordo com a France Presse.

Vítima da explosão sendo socorrida depois que uma bomba explodiu em um parque público no Paquistão (Foto: Arif Ali/ AFP)

A polícia isolou a área e nesta segunda ainda era possível observar pedaços de roupas ensanguentados nos balanços. (Vítima da explosão sendo socorrida depois que uma bomba explodiu em um parque público no Paquistão (Foto: Arif Ali/ AFP)

No domingo, os médicos descreveram cenas de horror no hospital Jinnah, ao mesmo tempo que o Twitter foi dominado por pedidos de doação de sangue. A situação continuava caótica na manhã desta segunda, com parentes de vítimas e jornalistas entrando e saindo do centro médico.

A jovem paquistanesa Malala Yousafzaï, vencedora do Nobel da Paz, afirmou estar “abatida com a matança sem sentido”, informou a France Presse.

Repercussão
O papa Francisco repudiou nesta segunda o ataque suicida de militantes islâmicos, classificando-o como “hediondo” e exigindo que as autoridades do país protejam minorias religiosas.

O Paquistão é um país de maioria muçulmana, mas tem uma população cristão de mais de 2 milhões de pessoas.

A brutalidade do ataque da facção Jamaat-ur-Ahrar, no quinto atentado a bomba do grupo desde dezembro, reflete as tentativas do movimento de aumentar sua importância entre os divididos militantes islâmicos do Paquistão.

Esse foi ataque o mais mortal no Paquistão desde o massacre de 134 crianças em dezembro de 2014 em uma academia militar na cidade de Peshawar, que gerou uma grande repressão do governo à militância islâmica.

O porta-voz do Exército general Asim Bajwa disse que agências de inteligência, o Exército e forças paramilitares iniciaram diversas operações na área de Punjab após o ataque atrás dos responsáveis pelo atentado.

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/03/paquistao-inicia-cacada-autores-de-ataque-que-matou-dezenas.html

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s