Mendigo bêbado invade culto e faz o fogo cair na igreja

Anúncios

LOBOS CRIMINOSOS – Pastor evangélico é preso por estuprar filha durante seis anos, diz polícia

O pastor de uma igreja evangélica de Jundiaí (SP) foi preso depois de confessar à Polícia Civil ter estuprado a filha durante seis anos. Segundo informações da polícia, o suspeito, de 57 anos, é dirigente da instituição religiosa e admitiu que abusava da filha, hoje com 14 anos, desde que ela tinha 8.

Em entrevista nesta sexta-feira (26), a delegada responsável pelo caso, Maria Beatriz de Carvalho, explica que o homem foi denunciado à polícia depois que a esposa percebeu atitudes estranhas do marido.
“Ela disse que não sabia de detalhes, mas notou que o marido sempre ia ao tanque de roupas sujas e pegava uma calcinha da filha. Depois disso, a mulher resolveu conversar com um pastor acima do homem na hierarquia da igreja, que recomendou que ela procurasse a polícia”, afirma a responsável pela Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Jundiaí.
A menina nunca havia contado sobre os abusos sexuais até ser ouvida na delegacia. Ainda segundo a delegada, o homem obrigava a adolescente a dormir na cama do casal. “Ele a queria sempre por perto. Por isso, obrigava a filha a dormir na cama do casal para que ele pudesse passar a mão nela quando tivesse vontade. Além disso, ele batia na adolescente por ciúme de outros garotos”, ressalta Maria Beatriz. Além da menor, o casal tem outro filho, que não foi assediado pelo pai.
Reincidência
Após a denúncia da mãe, a polícia fez buscas pelo suspeito, que foi encontrado e confessou o crime na delegacia na quarta-feira (24). Conforme as investigações da polícia, esta não foi a primeira vez que ele foi denunciado por abusar sexualmente de um menor de idade. “Ele já foi preso por um caso de estupro ocorrido há 20 anos com um sobrinho”, afirma a delegada.
Por conta da confissão e do caso de reincidência, a delegada pediu a prisão preventiva do pastor, que foi encaminhado ao Centro de Triagem de Campo Limpo Paulista (SP) e pode ser condenado a até 15 de reclusão por estupro.

http://www.cenariomt.com.br/noticia/507241/pastor-evangelico-e-preso-por-estuprar-filha-durante-seis-anos-diz-policia.html

Pastor afirma ter estuprado criança de 10 anos “em nome da glória de Deus”

O delegado que ouviu o suspeito, que confessou o crime, nesta terça:

Crime ocorreu na cidade de Campo Grande (MS); acusado, que é tio-avô do menino, estava em liberdade condicional desde agosto do ano passado e foi autuado em flagrante pela polícia

O Dia

Acusado de estuprar um menino de 10 anos em troca de um par de chinelos e de um videogame, um pastor de 52 anos confessou à polícia ter cometido o abuso sexual “em nome da glória de Deus”, nesta terça-feira (18). O crime ocorreu em Campo Grande (MS), na segunda (17). (Foto: TV Morena/Reprodução | O delegado que ouviu o suspeito, que confessou o crime, nesta terça: “Ele planejou tudo”)

Leia mais em O Dia

O pastor, que é tio-avô do menino, foi autuado em flagrante após exame de corpo de delito na criança, que detectou ferimentos e sinais de sangramento em seu ânus. De acordo com o delegado Reginaldo Salomão, o acusado não se mostrou arrependido pelo crime.

O pastor, cujo nome não foi divulgado, estava em liberdade condicional desde agosto do ano passado, quando foi solto após cumprir pena pelo estupro de outro menor de idade. Ele cumpriu a pena anterior em regime fechado e, se condenado mais uma vez, pode pegar de 8 a 15 anos de prisão.

Na segunda-feira (17), o menino havia sido deixado pelos pais na casa da avó, já que eles não poderiam ficar com a criança durante o dia por terem de trabalhar. Um primo, que flagrou o irmão da avó no momento em que ele praticava o abuso sexual, fez a denúncia à polícia. Os agentes foram até a casa da família e autuaram o pastor em flagrante.

Leia também:
Bombeiro é condenado por estuprar menina que havia acabado de salvar
Papa expulsa padre espanhol acusado de pedofilia
Menores são condenados a pena máxima por estupro coletivo no Piauí

O delegado conta que a avó do menino foi autorizada a acompanhar as investigações e o depoimento de seu irmão, mas, apesar de o pastor ter admitido o crime, ela não acreditou em suas palavras.

“Ele [o pastor] chegou a ajoelhar na frente dela, disse para a família orar por ele. Na verdade, é um dissimulado. Ele sabia bem o que estava fazendo. Planejou tudo”, afirma o delegado. “Quando está apenas com os policiais, ele conversa normalmente. Mas, na frente da família, utiliza esse subterfúgio de dissimulação e afirma que está sendo incompreendido.”

Apesar de ter admitido o estupro, o pastor preferiu não dar detalhes sobre o caso.

http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2015-08-18/pastor-afirma-ter-estuprado-crianca-de-10-anos-em-nome-da-gloria-de-deus.html

Associação de ateus alega demonstração de intolerância e prepara processo contra SBT

A Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos (Atea) prepara um processo judicial e uma denúncia no Ministério Público contra o SBT, informou a colunista Mônica Bergamo, na Folha de S.Paulo.
A entidade alega que houve demonstração de intolerância e de desrespeito aos ateus no “Programa Silvio Santos” no último domingo (8/5).
Durante o quadro “Jogo dos Pontinhos”, seis participantes se manifestaram contra o ateísmo. Na sequência, a filha do apresentador, Patricia Abravanel, declarou: “A gente fica muito miserável quando não acredita em Deus”. A emissora não quis comentar.
Patrícia também virou alvo de críticas na internet após afirmar, no mesmo quadro, que não enxerga a homossexualidade como algo natural. “Não sou contra o homossexualismo (sic), mas sou contra falar que é normal”, disse.

No Twitter, o nome da apresentadora e a hashtag “Anormal é teu preconceito” ficaram entre os mais citados. Mais tarde, ela usou seu perfil do Instagram para se desculpar.

“Peço desculpa se ofendi alguém ontem no Jogo dos Pontinhos. Dei apenas minha opinião, mas fui mal interpretada. Sou a favor do amor do respeito e da tolerância”.

http://www.midianews.com.br/variedades/associacao-de-ateus-alega-demonstracao-de-intolerancia-e-prepara-processo-contra-sbt/263058