GUERRA SEM FIM – Ministro paquistanês ameaça Israel com ataque nuclear

Ministro paquistanês ameaça Israel com ataque nuclear

O ministro da Defesa paquistanês ameaçou no Twitter responder a um ataque nuclear de Israel, ao dar crédito a uma informação falsa que atribuía esta intenção ao ministro da Defesa israelense.

O site AWDNews publicou um texto com o seguinte título: “Se o Paquistão enviar tropas terrestres à Síria com qualquer pretexto, destruiremos este país com um ataque nuclear (ministro da Defesa israelense)”.

Na sexta-feira, o ministro Khawaja Asif caiu na armadilha e tuitou: “O ministro da Defesa israelense ameaça tomar represálias nucleares contra o Paquistão por seu suposto papel na Síria contra o (grupo) Estado Islâmico: Israel esquece que o Paquistão também é um Estado nuclear”.

O ministério da Defesa israelense respondeu no Twitter ao ministro do Paquistão, um país com o qual não mantém relações diplomáticas, explicando que as declarações recolhidas pelo AWDNews eram “totalmente falsas”.

O erro de Asif, que coincide com a proliferação de falsas notícias nas redes sociais, provocou críticas no Paquistão.

“Nosso programa nuclear é um assunto muito sério para ser deixado nas mãos de homens políticos viciados no Twitter”, comentou um famoso jornalista de televisão paquistanês, Nusrat Javeed.

Israel nunca reconheceu possuir uma bomba atômica, mas é considerado a única potência nuclear no Oriente Médio.

Por sua vez, o Paquistão realizou seus primeiros testes atômicos em 1998, e calcula-se que tenha um arsenal nuclear de 120 armas, isto é, mais que a vizinha Índia.

http://istoe.com.br/ministro-paquistanes-ameaca-israel-com-ataque-nuclear/?utm_source=terra&utm_medium=home&utm_campaign=parceiro

Deputados querem rever isenção de impostos a igrejas e times de futebol

Os deputados federais devem reavaliar as isenções tributárias oferecidas a empresas como igrejas e clubes de futebol, por exemplo. Estas isenções representam um terço do déficit das contas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) em 2017, que será de R$ 181 bilhões.

De acordo com a Folha de S. Paulo, isenções concedidas por lei a pequenos empresários, indústrias, entidades filantrópicas e produtores rurais, que correspondem a R$ 62,5 bilhões em contribuições que poderiam ser destinados à Previdência, são alguns dos benefícios que devem ser revistos.

Os principais alvos, segundo a matérias, seriam isenções concedidas a igrejas e instituições de ensino religioso, além de clubes de futebol, que anteriormente recolhiam um percentual da folha de salários e agora pagam 5% sobre o total do faturamento.

As centrais sindicais também apoiam a medida, pois acreditam ser uma forma de reduzir o impacto das mudanças que serão trazidas pela reforma da Previdência.

O governo ainda não se posicionou oficialmente, mas tem estimulado os deputados a avançarem na discussão.

http://www.wscom.com.br/noticias/brasil/deputados+querem+rever+isencao+de+impostos+a+igrejas+e+times+de+futebol-208078

Morre em estado vegetativo Felipe Hernandes, filho de autointitulado apóstolo e bispa da igreja Renascer

Morreu nesta quarta (14) Felipe Daniel Hernandes, filho do apóstolo Estevam Hernandes e a bispa Sônia Hernandes. O herdeiro dos fundadores da Renascer estava em coma havia cinco anos por complicações em uma cirurgia de redução de estômago.

Conhecido como Bispo Tid pelos fiéis da Renascer, Felipe vivia em estado vegetativo no Hospital Albert Einstein. Ele havia tentado diversas dietas, sem sucesso, quando decidiu tentar o procedimento. Meses depois da operação, contraiu bactérias que o deixaram em coma e, após a internação, teve novas complicações. Ele completaria 38 anos no dia 27 deste mês.

Sonia e Hernandes tratavam do assunto com muita discrição. O acesso ao quarto do filho era restrito e eles jamais deram entrevistas sobre o assunto. Felipe deixa dois irmãos, Fernanda e Gabriel.

http://www.24horasnews.com.br/noticias/ver/morre-felipe-hernandes-filho-do-casal-fundador-da-renascer.html

 

Aprendendo a orar para poder orar pelos meus filhos

(Primeira Parte)
* Os Quatro Passos Da Oração


Senhor, Tu que és bom e reto, dá a meu filho “… um coração perfeito, para guardar os Teus mandamentos, os Teus testemunhos, e os Teus estatutos …” (1 Crônicas 29:19).

A primeira vez que percebi que não sabia orar da maneira que agradava a Deus foi quando meu filho Mauro se encontrava numa UTI. Eu orava e orava mas, as palavras que eu proferia, não eram, exatamente, aquelas que minha alma desejava dizer, que meu coração ansiava falar. Sei, hoje, que mesmo eu não sabendo expressar o que havia no íntimo do meu ser, Deus conhecia a minha súplica e o meu desespero.

Apesar dEle não ter respondido do jeito que eu queria, Ele respondeu da melhor maneira tanto para nós como para ele que, com muita alegria, se encontra na mansão celestial que o Senhor preparou para ele e está preparando para todos aqueles que são dEle.

Como uma mãe que ama a seus filhos, tenho me esforçado para orar por eles do modo como o Senhor quer … louvando-O, confessando os meus pecados …

Vamos juntas aprender os quatro passos da oração e, assim, podermos orar por nossos filhos.

1- Comecemos louvando a Deus como Jesus nos ensinou no Pai Nosso … “Pai nosso, que estás nos céus, SANTIFICADO seja o Teu nome …”[grifo meu] (Lucas 11:2).

2- Confessemos os nossos pecados para que possamos chegar até o trono de Deus com um coração puro e limpo.

“De acordo com as Escrituras, não há vida de oração eficaz quando o pecado mantém seu domínio sobre a vida do crente. Essa é a razão pela qual a confissão é tão importante para nossa vida de comunhão com o Senhor e deve ser introduzida logo no início da oração.” (Dick Eastman)

3- Cheguemos até Deus com corações agradecidos, pois é a própria Palavra de Deus que nos diz … “Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco” (1 Tessalonicenses 5:18).

Muito interessante o que nos diz o teólogo O. Hallesby … “Quando agradecemos a Deus, estamos glorificando a Deus por tudo que Ele tem feito por nós, e quando O adoramos ou louvamos, estamos glorificando a Deus por tudo que Ele é.”

4- Cheguemos até o trono de Deus como intercessores, orando em favor de alguém.

Abraão intercedeu em favor de seu sobrinho quando as cidade de Sodoma e Gomorra iam ser destruídas por não haver ali nem mesmo dez pessoas justas.

Como intercessores devemos orar confiando que tudo que estamos pedindo está nas mãos de Deus que é fiel, bondoso e tem o plano perfeito para a vida de cada pessoa pela qual estamos intercedendo.

1- LOUVANDO A DEUS

Para que uma mãe saiba orar por seus filhos é necessário que, antes, ela conheça Aquele que os criou para assim poder começar a sua oração louvando-O.

Através da Bíblia podemos conhecer a Deus e Seus atributos. Podemos aprender que Deus é …

1) Um Deus Supremo

Vemos este atributo de Deus no livro de Gênesis quando Melquisedeque abençoa Abraão e diz … “Bendito seja Abraão pelo Deus Altíssimo, o Possuidor dos céus e da terra” (Gênesis 14:19).

Sim, o nosso Deus é um Deus Supremo, Todo Poderoso que está acima de todos.

“Senhor Deus, Tu que és um Deus Supremo e que estás acima de tudo e de todos cuida do meu filho, toma Ele em Tuas mãos …”

2) Um Deus Soberano

Nosso Deus é Aquele que detém poder e autoridade suprema. Ele é soberano sobre a terra e sobre o céu. Ele é o Senhor de tudo e de todos.

Aprendemos da soberania de Deus ao lermos Salmos 135:6-7 que nos diz:

“Tudo o que o Senhor quis, fez, nos céus e na terra, nos mares e emtodos os abismos. Faz subir os vapores das extremidades da terra; faz os relâmpagos para a chuva; tira os ventos dos seus tesouros.”

“Meus Deus, meu Pai, eu Te louvo porque és um Deus Soberano, um Deus de amor que olha por cada filho meu, individualmente …”

3) Um Deus Onipotente

O nosso Deus não é um Deus de madeira, nem de pedra, nem mudo. Ele é um Deus real, todo poderoso. Ele tem poder para ressuscitar mortos, curar leprosos, fazer coxos andar, expulsar demônios, mudar uma situação … nos dar vida eterna…

“Grande é o nosso Senhor, e de grande poder; o Seu entendimento é infinito” (Salmos 147:15).

“Deus falou uma vez; duas vezes ouvi isto: que o poder pertence a Deus” (Salmos 62:11).

“Pai, aceita o meu louvor! Eu Te louvo porque és um Deus onipotente, podes todas as coisas. Pode trazer meu filho das trevas para a luz …”

4) Um Deus Onisciente

O nosso Deus é um Deus que sabe todas as coisas.

Ele nos conhece, conhece nossos pensamentos, nosso andar, os desejos de nossos corações, nossa vida … nosso filhos.

Porventura não esquadrinhará Deus isso? Pois Ele sabe os segredos do coração” (Salmos 44:21).

“Senhor Deus, meu Pai, só Tu sabes todas as coisas, só Tu és um Deus onisciente, um Deus que conhece o coração de cada um de Teus filhos …

5) Um Deus Onipresente

O nosso Deus é um Deus que está sempre presente nos bons e nos maus momentos da nossa vida.

“Sejam os vossos costumes sem avareza, contentando-vos com o que tendes; porque Ele disse: Não te deixarei, nem te desampararei” (Hebreus 13:5).

“Pai, eu Te agradeço porque sei que és um Deus onipresente e, por isso, estás junto a meus filhos, cuidando de cada um deles. Obrigada pelo Teu amor e misericórdia …”

6) Um Deus Fiel

É por causa da fidelidade de Deus que temos paz e confiança que, um dia, iremos nos encontra com Ele na glória.

“O Senhor te guardará de todo o mal; guardará a tua alma. O Senhor guardará a tua entrada e a tua saída, desde agora e para sempre” (Salmo 121:7-8).

“Ó Senhor, eu Te louvo porque és um Deus Fiel! E é por causa da Tua fidelidade que coloco em Tuas mãos a vida de cada um dos meus filhos sabendo que tudo que fizeres é para o bem espiritual ou material deles …”

Um Deus Benigno

É impossível alguém medir a benignidade do nosso Deus. Podemos, no entanto, imaginá-la quando paramos para pensar no que éramos antes e no que somos, agora. Tudo isto por causa da Sua bondade.

Veja as palavras de Spurgeon falando da benignidade do nosso Deus … “É durante a tempestade que aprendemos a dar graças ao Senhor pela Sua benignidade, e pelas Suas maravilhas para com os filhos dos homens” (Salmos 107:8).

Observando estas palavras notamos que, muitas vezes, cremos na benignidade do Senhor, pela fé porque … Como podemos crer que Ele é bom quando, por exemplo, vemos cinco pessoas se envolverem em um acidente automobilístico e, apenas um, o único crente, morrer com apenas 15 anos?

É, exatamente, por sabermos que Deus é bom e misericordioso que podemos dizer que …

a- Cremos que Deus é bom, pois Ele salvou o pai e o irmão daquele jovem, no dia que ele foi para a glória …

“Quão preciosa é, ó Deus, a Tua benignidade, pelo que os filhos dos homens se abrigam à sombra das Tuas asas” (Salmos 36:7).

b- Cremos que Deus é bom porque, apesar da dor, é Ele quem tem o plano perfeito para a vida de cada um de Seus filhos …

“Porque a Tua benignidade é melhor do que a vida, os meus lábios Te louvarão” (Salmo 63:3).

c- Cremos que Deus é bom porque Ele enviou o Seu Filho unigênito para morrer por aquele jovem e por todos nós para nos levar para o céu junto a Ele …

“Louvai ao Senhor … porque a Sua benignidade é grande para conosco … Louvai ao Senhor porque Ele é bom, porque a Sua benignidade dura para sempre” (Salmos 117:1-118:1).

“Ó Deus, somente por causa da Tua benignidade é que estamos de pé! Somente porque és um Deus benigno é que Te peço para cuidares da vida de nossos filhos …”

Estes e tantos outros atributos de Deus é que nos fazem amá-Lo, adorá-Lo e honrá-Lo muito mais.

2- CONFESSANDO OS PECADOS

Deus é um Deus Santo e por isso não posso chegar diante dEle cheia de pecados. Tenho que dar a Ele o melhor de mim, confessar as minhas iniqüidades e, assim, restaurar a minha comunhão com Ele, pois “… Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça” (1 João 1:9).

Mas se eu decido permanecer no pecado a Bíblia me diz … “Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus” (Isaías 59:2).
Ele nos ama mas odeia o pecado e, se nós O amamos. devemos procurar ser puras e retas.

Minha oração diária deve sr … “Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto” (Salmos 51:10).

3- CORAÇÕES AGRADECIDOS

Daniel foi um exemplo de um homem agradecido a Deus. A Bíblia nos diz …

“Daniel … entrou em sua casa (ora havia no seu quarto janelas abertas do lado de Jerusalém), e três vezes no dia se punha de joelhos, e orava, e dava graças diante do seu Deus … (Daniel 6:10).

Veja que a Bíblia nos diz que Daniel orava de joelhos três vezes ao dia e … dava graças.

Quantas vezes você ora ao dia?

Quantas vezes você se põe de joelhos para orar?

Quantas vezes você dá graças pelas tantas coisas que o Senhor faz por você?

Nós, muitas vezes, pedimos, pedimos e pedimos que, até mesmo, nem notamos que o Senhor já respondeu e então … percebemos que, na verdade não temos um coração agradecido.

Você tem agradecido a Deus por seu esposo, por cada um de seus filhos e, principalmente, pela salvação que Ele lhe deu?

“Aquele que oferece sacrifício de louvor me glorificará e àquele que bem ordena o seu caminho eu mostrarei a salvação de Deus” (Salmos 50:23). É isto que o Senhor pensa.

4- INTERCESSÃO

A nossa oração ao Senhor é que Ele nos ajude a sermos intercessores fiéis dos nossos filhos.

“Senhor, eu te louvo pela Tua fidelidade e bondade! Ensina-me, Pai, a orar pelos meus filhos e que eu ore sempre e nunca desfaleça!

Que o Teu Espírito, Senhor, possa me mostrar cada necessidade deles.

Eu confio em Ti, Pai, e sei que Tu suprirás todas as minhas necessidades e cumprirás as Tuas promessas no dia, na hora e do modo que Tu quiseres.
Amém!

“O meu Deus, segundo as Suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus” (Filipenses 4:19).

“Porque eu bem sei os pensamentos que tenho a vosso respeito, diz o Senhor; pensamento de paz, e não de mal, para vos dar o fim que esperais”(Jeremias 29:11).

Com toda esta bondade do Senhor nosso Deus só temos que dizer sempre … OBRIGADA SENHOR E AMÉM!

(SEGUNDA PARTE)

* Intercedendo Por Meus Filhos

“Não tenho maior gozo do que este, o de ouvir que os meus filhos andam na verdade” (3 João 1:4).

Quando leio Isaías 44:3, lembro da fidelidade de Deus que é derramada, constantemente, em nossa vida. Ele diz na Sua Palavra:

“Porque derramarei água sobre o sedento, e rios sobre a terra seca; derramarei o Meu Espírito sobre a tua posteridade, e a minha bênção sobre os teus descendentes.” AMÉM SENHOR!

“Ah Senhor, que promessa maravilhosa! Que segurança Tu colocas em meu coração! Que alegria saber que derramarás do Teus Espírito sobre os meus filhos, netos e bisnetos (ou até onde os meus olhos alcançarem) e ainda os abençoarás!

Obrigada, Pai, por trazeres refrigério para a minha alma!
Amém!”

Outra promessa do Senhor que alegra o meu coração e renova as minhas forças se encontra em Isaías 40:31 …

“Mas os que esperam no Senhor renovarão suas forças, subirão com asas como águias; correrão e não se cansarão; caminharão, e não se fatigarão.”

Eu, que amo tanto os meus filhos, devo orar, todos os dias, por cada  um, individualmente. Além disso, tenho que conhecer cada filho, cada necessidade, cada desejo … e crer na promessa do Senhor que me diz …

“Clama a Mim, e responder-te-ei, anunciar-te-ei coisas grandes e firmes que não sabes” (Jeremias 33:3).

Como mãe tenho que repousar no Senhor e entregá-los em Suas mãos mas não deixando de orar por eles. Apesar dos problemas que eu como mãe tenho que enfrentar e, sabiamente, resolver, sei que o Senhor estará sempre comigo. E, nesta confiança, sei que nem me cansarei nem me fatigarei, pois Ele é sempre o meu “… refúgio e fortaleza …” (Salmos 46:1) e a Ele, intercederei por meus filhos.

A salvação, a vida espiritual, o envolvimento na igreja, a pureza, os trabalhos, os estudos, os amigos, os futuros cônjuges … são áreas da vida dos meus filhos que me levam a colocar os joelhos no chão e a orar ao Pai, suplicando por cada um deles. Como sempre, a Palavra de Deus fortalece o meu espírito … “A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos” (Tiago 5:16). É bom saber disto!

Sempre percebi na vida de meus filhos que cada um tinha necessidades diferentes e foi aí que percebi que tinha que orar por cada um deles e por cada necessidade. Dentre tantas necessidades vamos observar apenas algumas que eu, realmente, achei mais importantes …

1- A salvação do meu filho;

2- A vida espiritual do meu filho;

3- Santificação na vida do meu filho;

4- Envolvimento do meu filho na igreja;

5- Os amigos do meu filho.

1- A Salvação Do Meu Filho

Pedir a Deus pela salvação do meu filho é o pedido mais importante e mais urgente que eu como mãe devo fazer. Não existe, nesta vida, nada mais importante nem mais urgente do que a salvação eterna de nossos filhos.

Eles necessitam conhecer o plano de salvação e aceitar Jesus em suas vidas. E, cabe a mim, falar deste tão grande amor de Deus o quanto antes, pois não sabemos se nosso filho estará vivo daqui a cinco minutos. Então, devo orar e pedir ao Pai que Ele envie o Seu Espírito Santo para convencer meu filho do pecado e da necessidade de aceitar Jesus como seu Salvador.

Mãe, orar pela salvação do seu filho é um “investimento eterno”.

Quando vemos nossos filhos, um a um, aceitando Jesus em suas vidas, vemos o quanto nosso Pai do Céu é fiel e está sempre ouvindo as nossas súplicas. É Ele quem me diz …

“Para que andem nos Meus estatutos, e guardem os Meus juízos e os cumpram; e eles me serão por povo, e Eu lhes serei por Deus” (Ezequiel 11:19).

Ore por seu filho, pois a salvação da alma dele pode depender de sua oração e súplica.

2- A Vida Espiritual De Meu Filho

A mãe que, realmente, ama o filho quer vê-lo crescer, espiritualmente, nos caminhos de Deus. Nosso filho não pode ser um eterno bebê em Cristo. Ele tem que amadurecer e conhecer o Deus que o salvou, Seus mandamentos, Sua Palavra.

Nos meus momentos de oração, tenho que pedir ao Senhor pela vida espiritual do meu filho, pela dedicação dele à leitura da Bíblia, à oração, ao louvor e à ida aos cultos da igreja. Romanos 1:28 nos alerta sobre a necessidade de se conhecer o Deus Todo Poderoso …

“E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm.”

Irmã, você não quer isto para seu filho, não é? Então coloque os joelhos no chão e ore … ore … e ore!

3- Santificação Na Vida Do Meu Filho

A Bíblia me diz que … “O que ama a pureza de coração, e é amável de lábios, será amigo do rei” (Provérbios 22:11).

Ainda aprendi na Palavra de Deus que … “Abomináveis são para o Senhor os pensamentos do mau, mas as palavras dos puros são aprazíveis”(Provérbios 15:26).

Pureza e santificação no coração de um filho é algo que toda mãe deseja ver. Ter um filho cujas  palavras são aprazíveis ao Senhor é o resultado de horas de oração de uma mãe que ama e se importa com ele.

* Quanto tempo eu e você levamos orando por nossos filhos, a cada dia?

* Eu e você temos orado pela salvação deles?

* E pela vida espiritual? Eu e você temos dobrado os nossos joelhos e colocado esta área da vida deles no altar do Senhor?

* Nós como mães, achamos importante orar e suplicar ao Senhor para Ele mudar os corações dos nossos filhos e transformá-los em jovens puros e santos?

Façamos nossos filhos conhecerem a vontade de Deus em suas vidas observando 1 Tessalonicenses 4:1,3 que diz:

“Finalmente, irmãos, vos rogamos e exortamos no Senhor Jesus, que assim como recebestes de nós, de que maneira convém andar e agradar a Deus, assim andai, para que possais progredir cada vez mais … Porque esta é a vontade de Deus, a vossa santificação …”

4- Envolvimento Do Meu Filho Na Igreja

Para que meu filho goste de ir à igreja, ele tem que ter o Espírito Santo habitando nele. Ele tem que ter aceito Jesus como seu único e suficiente Salvador. Então … o que é que eu como mãe tenho que fazer para ver meu filho envolvido com as coisas do Senhor? Primeiramente, eu tenho que lhe falar do amor de Deus que enviou Seu Filho unigênito para morrer por nós e nos dar a vida eterna. Depois, eu tenho que orar e pedir a Deus que o Seu Espírito faça ele entender o Seu perfeito plano de salvação e que ele decida aceitá-Lo em sua vida. Finalmente, devo orar para Deus colocar no coração do meu filho amor pela Sua obra.

Para que meu filho se interesse pelas coisas do Senhor tenho também que incentivá-lo a ir para acampamentos de jovens, clubes bíblicos, atividades na igreja, grupo de jovens … e depois … orar para que o Seu Espírito opere na vida dele.

Também não devo esquecer de mostra-lhe o que a Palavra de Deus diz … “E tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como ao Senhor, e não aos homens …” (Colossenses 3:23).

5- Os Amigos Do Meu Filho

Ah, como gostaria de ter orado por cada um dos meus filhos, bem antes deles nascerem!

Como gostaria de ter orado quando eles ainda eram bebezinhos … pela salvação deles, pelo crescimento espiritual de cada um, pela santificação e o amor deles pela obra do Senhor! Mas … eu ainda não era uma filha de Deus.

Hoje, já tendo aceito Jesus em minha vida e com meus filhos já crescidos, vejo a grande necessidade de orar pelos meus netos (amores da minha vida) e pelos amigos deles que poderão ser bênção ou maldição em suas vidas.
O primeiro livro de Coríntios 15:33 nos alerta dizendo …

“Não vos enganeis as más conversações corrompem os bons costumes.”

Provérbios 22:24-25 nos mostram o quanto devemos orar para que o Senhor afaste de nossos filhos as más influências a fim de que eles não sigam por veredas tortuosas que enlaçarão as suas almas …

“Não sejas companheiro do homem briguento nem andes com o colérico. Para que não aprendas as suas veredas, e tomes um laço para a tua alma.”

Amada irmã, sei que cada filho tem necessidades diferentes. É importante que tenhamos, com cada um individualmente, momentos de comunhão, uma conversa amiga, companheirismo, respeito. Com sabedoria, podemos penetrar em seus corações e conhecê-los mais profundamente a fim de podermos orar por eles baseadas naquilo que eles precisam.

Como mães, nos preocupamos com várias áreas da vida de nossos filhos, por isso devemos organizar nossos pedidos de acordo com a necessidade de cada um. À medida que eles vão crescendo, as necessidades vão mudando e nós continuamos orando, orando e orando sem cessar. É este o nosso papel de mãe junto a nossos filhos … orar sem cansar e sem cessar e ver, pouco a pouco, Deus respondendo as nossas orações … nossos filhos andando em Seus caminhos com almas puras e dando exemplo de verdadeiros cristãos que amam o Senhor.

“Ó Deus, Tu que és um Deus misericordioso, Todo poderoso e Onipotente,  tem misericórdia da vida do meu filho!

Tu sabes, e eu sei, que ele não está andando em Teus caminhos. Há muito tempo, ele Te abandonou e não tem escutado a Tua voz. Tu sabes como meu coração está chorando por aquele filho pródigo e eu sei que, nestes momentos, Tu estás comigo, me consolando.

Pai, afasta dele a má influência de amigos! Que ele não consiga conciliar o sono, pensando no quanto está errado em andar “no caminho dos pecadores”.

Que ele volte àquele primeiro amor que ele tinha antes de tudo isto que vejo, agora.

Que ele sinta saudade do Teu amor, do Teu cuidado, da Tua Palavra.
Derrama, Pai, bênçãos em sua vida! Que como filho pródigo, Ele volte correndo para os Teus braços e, todos juntos, um dia, na eternidade, possamos louvar-Te e adorar-Te.

Em nome de Jesus … amém!”

Amada irmã, “das mães que deixaram o exemplo da oração na história, Susanna Wesley é a minha favorita e podemos aprender muito com ela. De seus dezenove filhos, que nasceram entre 1690 e 1709, apenas nove chegaram à idade adulta. Depois que ela teve seu nono filho, Susanna decidiu aumentar o seu tempo de devoção e oração de uma hora para duas. Aqueles que a conheceram sabiam que sua coragem e sua paz vinham dos momentos que ela passava com Deus todos os dias.

A vida de Susanna não era fácil. Sua casa era um barraco de barro; seu marido era um homem muito difícil; sua casa pegou fogo duas vezes, e quase tudo ficou destruído; ela tinha grandes problemas financeiros por causa das dívidas de seu marido. Porém, a sua força estava no Senhor, e o propósito dela era claro: criar os seus filhos para a glória de Deus.

Susanna educou rigorosamente os seus filhos, ensinando-os seis horas por dia em sua casa mas ela sabia que a maturidade espiritual deles dependia da ajuda divina. Sua biografia descreve como ela colocava cada filho para dormir e observava cada rosto sob a luz da vela, enquanto orava para que Deus inspirasse cada um deles de maneira tal que pudessem ser usados para mudar o mundo…” (Cheri Fuller).

Sabemos que um dos seus filhos (John Wesley) se tornou um grande pregador do evangelho e outro (Charles Wesley) foi compositor de vários hinos conhecidos na igreja.

Que assim como Susanna Wesley, nós possamos nos transformar em mães de oração.

Amadas irmãs, que nosso Deus nos transforme em verdadeiras mães de oração que confiam em Suas bênçãos mesmo que, muitas vezes, não sejam da maneira que pensamos mas confiando que Sua decisão é mais sábia do que a nossa.
———————————————-

Todas as citações bíblicas são da ACF (Almeida Corrigida Fiel, da SBTB). As ACF e ARC (ARC idealmente até 1894, no máximo até a edição IBB-1948, não a SBB-1995) são as únicas Bíblias impressas que o crente deve usar, pois são boas herdeiras da Bíblia da Reforma (Almeida 1681/1753), fielmente traduzida somente da Palavra de Deus infalivelmente preservada (e finalmente impressa, na Reforma, como o Textus Receptus). 

http://solascriptura-tt.org/DoCoracaoDeValdenira/AprendendoOrarParaOrarPorMeusFilhos-Valdenira.htm

31 Virtudes Bíblicas para Orar pelos Seus Filhos

Por Bob Hostetler

Por muitos anos, como qualquer pai cristão responsável, eu orava diariamente pelos meus dois filhos, Aubrey e Aaron. Orava por benção e proteção do Senhor ao longo de suas vidas. Orava para que fossem felizes, para que Deus os guiasse através de tempos difíceis e que os instruísse a fazer boas escolhas. Minhas orações eram regulares, vindas do coração, e, na sua maior parte, corriqueiras.

Eu queria o bem de meus filhos, mas quando ajoelhava em oração invariavelmente chegava aos mesmos e repetidos pedidos. Um dia, Nancy, mulher de nosso pastor, compartilhou no culto matutino que o seu desejo de ver seus filhos desenvolverem de forma consistente frutos morais e espirituais levou-a a criar uma lista determinada de temas para oração.

Naquele dia resolvi seguir o exemplo de Nancy e desenvolver eu mesmo um “roteiro de oração para pais”, simples, prático, mas que revolucionou minha maneira de orar pelas crianças. Cada dia do mês, além de meus pedidos por sua segurança e assuntos cotidianos, eu peço por uma virtude, fruto do Espírito ou traço de caráter específicos que desejo ver plantados e alimentados em meus filhos, seja pelo meu empenho e de minha esposa, seja por influência de outros ou por decisão própria de Aubrey e Aaron. Ao final de cada mês começo a orar pela lista novamente.

Discrimino a seguir minha lista, embasada em referências bíblicas. Sinta-se à vontade para copiar ou incrementá-la. Que ela possa ajudá-lo a orar especificamente e com propósito pelos seus filhos.

  1. Salvação – Senhor, permita que a salvação brote no coração de meus filhos, que eles possam obter a salvação que está em Cristo Jesus, com glória eterna. (Is 45:8, 2Tm 2:10)
  2. Crescimento na Graça – Oro para que meus filhos cresçam na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. (2Pe 3:18)
  3. Amor – Permita, ó Deus, que meus filhos aprendam a viver uma vida de amor, através de Espírito que neles habita. (Gl 5:25, Ef 5:2)
  4. Honestidade e retidão – Que a honestidade e a retidão sejam suas virtudes e sua proteção. (Sl 25:21)
  5. Domínio próprio – Pai, ajude meus filhos a não serem como muitos outros em volta deles, mas permita que possam ser sóbrios e ter domínio próprio em tudo que fizerem. (1Ts 5:6)
  6. Amor pela Palavra de Deus – Que meus filhos possam crescer e descobrir que Tua palavra é mais preciosa que o ouro puro e mais doce que os favos de mel. (Sl 19:10)
  7. Justiça – Senhor, guie meus filhos para amar a justiça assim como tu a amas e para agir com justiça e tudo que fizerem. (Sl 11:7, Mq 6:8)
  8. Misericórdia – Que meus filhos sempre sejam misericordiosos, tal como nosso Pai celestial. (Lc 6:36)
  9. Respeito (por si mesmos, pelos outros e pelas autoridades) – Pai, que meus filhos possam prestar o devido respeito a todos, como a sua Palavra ensina. (1Pe 2:17)
  10. Auto-estima bíblica – Que meus filhos possam desenvolver uma sólida auto-estima que se baseie no entendimento que eles são obras das mãos de Deus criados em Cristo Jesus. (Ef 2:10)
  11. Fidelidade – Que o amor e a fidelidade nunca se apartem de meus filhos, mas que essas virtudes gêmeas sejam atadas ao redor de seus pescoços e escritas na tábua do seu coração. (Pv 3:3)
  12. Coragem – Que meus filhos sejam sempre fortes e corajosos em seu caráter e em suas ações.
    (Dt 31:6)
  13. Pureza – Crie neles um coração puro, ó Deus, e que esta pureza de coração seja manifesta em suas ações. (Sl 51:10)
  14. Gentileza – Senhor, que meus filhos sempre procurem ser gentis um com o outro e com as demais pessoas. (1Ts 5:15)
  15. Generosidade – Permita que meus filhos sejam generosos e desejosos em repartir, e assim acumulem tesouros para si mesmos, um firme fundamento para a era que há de vir. (1Tm 6:18-19)
  16. Amantes da Paz – Deus de paz, ajude meus filhos para que façam todo esforço naquilo que conduz à paz. (Rm 14:19)
  17. Alegria – Que os meus filhos sejam cheios da alegria que é dada pelo Espírito Santo. (1Ts 1:6)
  18. Perseverança – Senhor, ensine meus filhos a serem perseverantes em tudo que fazerem, e ajude-os a perseverar especialmente para correr a carreira que lhes está proposta. (Hb 12:1)
  19. Mansidão – Deus, por favor cultive em meus filhos a habilidade de demonstrar verdadeira mansidão para com todos. (Tt 3:2)
  20. Compaixão – Senhor, por favor revista meus filhos com a virtude da compaixão. (Cl 3:12)
  21. Responsabilidade – Permita que meus filhos desenvolvam responsabilidade, e cada um saiba carregar sua própria carga. (Gl 6:5)
  22. Contentamento – Pai, ensine meus filhos a estarem contentes em toda e qualquer situação, por meio de Jesus, que lhes fortalece. (Fp 4:12-13)
  23. – Oro para que a fé brote e cresça no coração dos meus filhos, e que por ela alcancem o que lhes foi prometido. (Lc 17:5-6, Hb 11:1-40)
  24. Um coração de Servos – Senhor, por favor ajude meus filhos a desenvolver um coração de servos, como se servissem ao Senhor e não aos homens. (Ef 6:7)
  25. Esperança – Ó Deus de Esperança, permita que meus filhos possam transbordar de esperança  no poder do Espírito Santo. (Rm 15:13)
  26. Habilidade e vontade para o trabalho – Ensine meus filhos, ó Senhor, a valorizar o trabalho e a trabalhar com todo os seus corações, como se fazendo para o Senhor e não para homens. (Cl 3:23)
  27. Paixão por Deus – Senhor, crie em meus filhos uma alma que se apega a ti, que se agarra apaixonadamente a ti. (Sl 63:8)
  28. Disciplina – Pai, oro para que meus filhos adquiram uma vida disciplinada e prudente, fazendo sempre o que é justo, direito e correto. (Pv 1:3)
  29. Prática de oração – Permita, Senhor, que meus filhos tenham uma vida marcada pela prática de oração, que eles aprendam a orar em todo o tempo no Espírito com todo tipo de orações e súplicas. (Ef 6:18)
  30. Gratidão – Ajude que meus filhos vivam suas vidas transbordando em gratidão e sempre dando graças a Deus Pai em todas as coisas, em nome de Jesus Cristo. (Ef 5:20, Cl 2:7)
  31. Coração para Missões – Senhor, por favor ajude meus filhos a desenvolver o desejo de ver a sua glória declarada entre as nações, e seus maravilhosos feitos entre todos os povos. (Sl 2:8, 96:3)

Depois de muitas semanas orando com essa lista pelos meus filhos, descobri um benefício adicional em meu programa de oração: quando orava junto com meus filhos a cada noite o Senhor me lembrava o tópico da lista sobre o qual havia orado pela manhã, assim repetia o pedido aos ouvidos de Aubrey e Aaron. Passado um tempo, eles começaram a ecoar meus pedidos, deixando fruir de sues corações as orações por virtudes e qualidades que eu desejava ver neles. Logo, o meu singelo roteiro de oração não havia mudado somente a maneira como eu orava, mas igualmente a oração de meus filhos, e, pela graça de Deus, a nossa vida também.

Sobre o Autor

Bob Hostetler é autor do premiado “Don’t Check Your Brains at the Door” (com Josh McDowell), e de “They Call me A.W.O.L.” Ele vive em Oxford, Ohio, com sua mulher, Robin, e dois filhos.

http://www.bibliapage.com/virtudes.html

“Ore Pela Salvação dos Seus Filhos”

por dr Joel Beeke

A promessa de Deus nos dá uma uma sólida fundação para todas as nossas orações e para todas as nossas expectativas em relação aos nossos filhos.

A salvação dos nossos filhos é inestimável; a importância de suas necessidades espirituais excede em muito a de suas necessidades físicas. Eles precisam das nossas orações – nossas orações mais diligentes com um coração inflamado tanto para seus arrependimentos iniciais e vindas para Cristo, quanto para suas vidas de contínuo crescimento na fé. Matthew Henry declarou corretamente que é muito mais valioso para pais que morreram deixarem para trás um tesouro de orações para seus filhos do que um tesouro de prata e ouro.

Minha mãe morreu recentemente. Ela teve pouco financeiramente para passar a seus filhos, mas nós entesouramos os anos de oração que ela e meu pai acumularam para nós. Sem prévio acordo, cada um de nós escolheu agradecer minha mãe por suas orações. Todos nós sabíamos que, durante muitos anos, ela orou diligente, fervorosa e perseverantemente por cada um de nós.

De maneira nenhuma nós estamos sozinhos nisso. Numa conferência de ministros na Itália, eu perguntei aos participantes quantos deles haviam sido influenciados pelas orações de suas mães. Do púlpito, pareceu a mim que quase todos levantaram a mão. Deus abençoa as orações sinceras dos pais com o bem-estar espiritual e eterno dos seus filhos.

De acordo com a promessa de Deus (Gn 17:7, At 2:39), filhos de pais cristãos são incluídos no pacto da graça e devem ser recebidos como membros da igreja pelo batismo. Essa promessa é preciosa, e os privilégios que ela confere às nossas crianças são muitos de fato. Mas esses privilégios não nos dão nenhuma base para presumir que nossos filhos são regenerados e nenhuma razão para tratá-los como tal até que eles venham a se arrepender e a ter uma fé salvadora.

Nós batizamos bebês baseados em muitos pontos, mas não por conta de uma “regeneração presumível”. Os resultados desse tipo de visão, que diz que nós devemos assumir todos os filhos da aliança como regenerados a menos que por um pecado flagrante eles provem o contrário, podem ser um tanto trágicos. Conhecimento e moralidade são frequentemente substituídos por salvação sem que tenha havido a obra de regeneração pelo Espírito, a convicção do pecado, o arrependimento para a vida, a fé salvadora e os frutos que necessariamente acompanham tal fé (Jo 3:5; 16:8-11; Lc 13:1-9; Jo 3:16; Gl 5:22-23). Conhecer Deus salvífica e pessoalmente é substituído por um compromisso com “atividades do reino” em casa, na igreja, na escola e na comunidade de modo geral.

Como um judeu, Nicodemus foi incluído no pacto, recebeu o sinal dele (circuncisão) e foi ensinado nas Escrituras, mas Cristo disse a ele: “Importa-vos nascer de novo” (Jo 3:7). (Aqui Cristo usa a forma plural “vos”, porque Ele incluiu todos os outros Israelitas na sua prescrição geral). Até que nascesse de novo, Nicodemus estava espiritualmente cego para as verdades do reino de Deus (vv. 3, 10).

Da mesma forma, à parte de uma obra salvadora da graça de Deus, nossos filhos são caídos e pecadores, não justos (Sl 51:5; 58:3). A Confissão Belga (Art. 15) diz: “O pecado original se estendeu por todo o gênero humano. Este pecado é uma depravação de toda a natureza humana e um mal hereditário, com que até as crianças no ventre de suas mães estão contaminadas”. Para serem salvos por Cristo, eles devem ser “unidos a Ele e receberem todos os seus benefícios pela verdadeira fé”, a fé “que o Espírito Santo opera em seus corações pelo evangelho” (Catecismo de Heidelberg P&R 20-21, parafraseado).

Os filhos dos crentes têm uma santidade exterior – um lugar na igreja visível –, mas eles não compartilham da salvação prometida no pacto, a menos que e até que sejam regenerados pelo Espírito Santo. É Ele quem deve converter os filhos de Abraão para que eles recebam a bênção prometida por Deus a Abraão (At 3:25-26). Pais cristãos precisam orar pela salvação de seus filhos e pedir a eles que confiem em Jesus Cristo como o único Salvador, pois apenas Seu sangue nos limpa de todo pecado (1 Jo 1:7).

Deus de fato fez uma promessa a Abraão de que iria ser Deus para ele, para seus filhos e para os filhos dos seus filhos – até mil gerações (Gn 17:7; Sl 105:8). Mas o Senhor também disse aos judeus por meio do Seu profeta João Batista: “E não comeceis a dizer entre vós mesmos: Temos por pai a Abraão” (Mt 3:9). Para aqueles que colocavam sua confiança na hereditariedade, Jesus disse: “Se sois filhos de Abraão, praticai as obras de Abraão” (Jo 8:39), obras que são fruto de uma fé salvadora que revelam uma linhagem espiritual, não apenas uma linhagem física (Rm 4:11-12). A promessa de Deus é feita para todos que, como Abraão, creem para a justificação e para a vida.

Como nós devíamos orar para a salvação de nossos filhos? Aqui está uma oração oferecida por um pregador escocês do século XIX, Alexandre Whyte: “Ó Deus Todo-Poderoso, nosso Pai Celestial, dê-nos uma descendência aceitável a Ti! Ó Deus, dê-nos nossos filhos! Uma segunda vez, e por um nascimento muito melhor, conceda a nós que nossos filhos estejam juntamente conosco na Sua santa aliança!”.

Não há nada de automático na salvação. Não há espaço para mera conjectura. Ser um pai cristão é um empreendimento da fé. A promessa de Deus nos dá uma uma sólida fundação para todas as nossas orações e para todas as nossas expectativas em relação aos nossos filhos. Mas Ele também nos comanda a usar os meios apontados para obter Suas boas dádivas. Você ora diariamente por seus filhos? Você ora diariamente com seus filhos? Se a respostá é “não”, o que você pode esperar do Senhor? Sejam eles salvos ou não, você é capaz de dizer, pela graça de Deus, que você ora ferverosamente por eles com um coração em chamas pelo seu bem-estar e pela glória de Deus?

_______________

joel beeke*Esse artigo foi publicado originalmente em inglês no site da Lingonier Ministries e traduzido mediante autorização. Veja o original aqui.

**Dr. Joel Beeke é presidente e professor de teologia sistemática no Puritan Reformed Theological Seminary (EUA). É pastor da Heritage Netherlands Reformed Congregation, editor da Banner of Sovereign Grace Truth, diretor editorial de Reformation Heritage Books, presidente da Inheritance. Foi co-autor, escreveu ou editou mais de 50 livros, dentre os quais, “Vivendo para a Glória de Deus” e “Vencendo o Mundo”. Obteve seu Ph.D. em Teologia da Reforma e Pós-reforma no Westminster Theological Seminary. Ele é convidado freqüentemente para lecionar em seminários e pregar em conferências ao redor do mundo. Ele e sua esposa, Mary, foram abençoados com três filhos: Calvin, Esther e Lydia.

http://www.mulherespiedosas.com.br/ore-pela-salvacao-dos-seus-filhospor-dr-joel-beeke/

O descompromisso da bancada evangélica com Deus, com o país e com a igreja

valente2
É com muita consternação, mas seguindo um sentimento de sinceridade e transparência, que preciso mais uma vez evidenciar o descompromisso da bancada evangélica federal com Deus, o Brasil e a igreja. (Foto: Da esquerda para a direita Deputados Sóstenes Cavalcante, Paulo Freire, Silas Câmara, Gilberto Nascimento, Takayama e Irmão Lázaro que votaram “SIM” quanto a lei de abuso de autoridade, tal qual implica na atuação da operação lava-jato.)

Sal que não salga, luz que não ilumina, detentores da verdade eterna que seguem exercendo de maneira dúbia o exercício de seus mandatos, assim é o perfil dos que dizem estar lá para nos representar. Já esqueceram o conselho que um dia um homem segundo o coração de Deus, brilhante estadista, registrou (Salmo 119:11). Talvez tenham deixado no gabinete ou debaixo do púlpito de suas igrejas, qualquer maneira não levam dentro do coração a palavra do Senhor quando presentes no plenário.

Já há muito tempo venho falando da falta de objetividade em que implica as ações dos nossos irmãos, deputados federais eleitos para o congresso brasileiro. É importante, interessante e necessária a união de forças pela consolidação e manutenção dos princípios bíblicos, princípios da vida e da família, realidade que tem nosso apoio e compreensão. Entretanto, talvez desconhecida/esquecida desta importância, a bancada evangélica tem se posicionado como apenas mais um bloco político, sem diferença quando comparado a tantos outros que também atuam com fim de achacar o governo em momentos relevantes, tratando com insignificância e desprazer o dever de, auxiliados e dirigidos por Ele, proteger a noiva do Senhor.

Quando comparadas efetivamente a conduta dos parlamentares (e nesta feita o faço sem nenhum viés ideológico-religioso), somos obrigados aceitar e reconhecer que Jean Willys, deputado militante da causa gay e conhecido opositor as iniciativas tradicionais, leva muito mais a sério em seu dia a dia e posicionamentos a defesa da vontade de seus eleitores, do que os nossos atuais representantes.

No dia de ontem, enquanto o Brasil sofria enlutado a morte da delegação da Chapecoense no trágico acidente aéreo, esta realidade fez-se mais uma vez evidente a todos nós. A maioria dos parlamentares da dita bancada evangélica votaram, pela madrugada, a favor da lei que põe a operação lava jato em risco, coibindo juízes e promotores.

Entre os deputados que votaram “SIM” à proposta surgem alguns nomes de relevância no contexto evangélico, tais como: Pr. Sóstenes Cavalcante (RJ, DEM, apoiado por Silas Malafaia e AD Vitória em Cristo), Pr. Paulo Freire (Pastor da AD em Campinas, apoiado pela AD em São Paulo), Pr. Silas Câmara (Associado aos Pastores Samuel Câmara e Jonatas Câmara, apoiado pela AD em Belém e AD em Manaus), Gilberto Nascimento (Apoiado pela AD Bom Retiro/São Paulo e demais), Pr. Takayama (Apoiado pela AD no estado do Paraná), Irmão Lázaro (Apoiado pela igreja evangélica da Bahia), Clarissa Garotinho (Presbiteriana), dentre outros.

Como estudante de direito afirmo que não concordo integralmente com as 10 medidas, sou contrário a relativização do habeas corpus, por exemplo. Ainda sim é passiva de desprezo e revolta a ação inconsequente dos deputados quando não debateram com sobriedade o projeto e adicionaram emendas contra o poder judiciário, desfigurando descaradamente todo o contexto da peça e, então, claramente, obviamente, conscientemente, desferindo um duro ataque contra a mais importante operação da história do nosso país.

Para a minha tristeza e vergonha, torna-se ainda mais difícil lidar com essa realidade quando boa parte dos deputados mencionados são Assembleianos, conforme os nomes retro mencionados esclarecem. Por outro lado, tal fato possibilita a constatação de uma realidade, e permite algumas indagações:

É evidente que há uma motivação obscura e desconhecida na atuação dos congressistas, sobretudo quando sei (e sabemos) que a posição dos membros da nossa igreja em sua expressão vai contrária à atitude dos nossos representantes, logo, três perguntas reflexivas surgem:

1. Até que ponto nossos irmãos estão comprometidos com Deus, no exercício de sua função?

2. Até que ponto nossos irmãos estão comprometidos com a igreja e com o dever de representá-la?

3. Até que ponto nossos irmãos estão comprometidos com a moralmente corrompida conjunção política atual?

Pense sobre isso.

NOTA:

Louvo a Deus e parabenizo os poucos membros da bancada que tiveram posicionamento diverso aos colegas e votaram contra a referida proposta, a favor do Brasil e segundo a vontade do povo. Por justiça, a saber, são alguns deles: Pr. Eurico (AD Pernambuco, associado ao Pr. Ailton/Recife), Ronaldo Fonseca (AD no Distrito Federal), Jair Bolsonaro e Eduardo Bolsonaro (Igreja Batista), dentre outros.

http://murillovinagre.blogspot.com.br/2016/12/o-descompromisso-da-bancada-evangelica.html

CABEÇA-DURA – Língua impensante

valente3

Hoje, ao comentar um post de um colega acabei exagerando e usando uma palavra inadequada. Me senti mal ao perceber que o machuquei.

O ego velho quis manter a pose, mas a consciência de escravo de Cristo me levou a ir contra minha vontade de aparecer mais que os outros. Então pedi desculpas e prometi evitar tal atitude.

Palavras ferem, fazem sofrer, destroem reputações, geram guerras locais e mundiais. Se voltam contra dolorosamente nós. Deus me ajude a alcançar a humildade não-mecânica e hipócrita sempre que agir errado!

Se alguém pode dominar a sua língua, isso prova que ele tem perfeito domínio sobre si próprio em tudo o mais.
Podemos fazer com que um cavalo grande se volte, e vá para onde quisermos, por meio de um pequeno freio em sua boca.
E um leme minúsculo faz com que um navio enorme se volte para qualquer lado que o piloto queira que ele vá, mesmo que os ventos sejam fortes.
Assim também a língua é uma coisa pequena, mas que prejuízo imenso pode provocar!
Uma grande floresta pode incendiar-se por meio de uma centelha pequenina.
E a língua é uma chama de fogo. Está cheia de maldade e envenena todos os membros do corpo. E é o próprio inferno que ateia fogo à língua, que pode transformar toda a nossa vida numa chama ardente de destruição e desastre.
Os homens têm domesticado, ou podem domesticar, qualquer espécie de animal ou ave que tem vida, e qualquer espécie de serpente e de peixe, mas nenhum ser humano pode domar a língua. Ela está sempre pronta a expelir seu veneno mortífero.
Umas vezes, a língua dá louvores ao nosso Pai celestial, e outras ela rompe em maldições contra os homens que são feitos à semelhança de Deus.
E assim a bênção e a maldição vêm brotando da mesma boca. Queridos irmãos, é evidente que isso não está certo!
Uma fonte d’água jorra primeiro água doce e depois água amarga?
Podem-se colher azeitonas de uma figueira, ou figos de uma parreira? Não, e não se pode tampouco tirar água doce de um poço salgado.
Se vocês forem sábios, vivam uma vida de constante bondade, para que dela emanem somente as boas ações. E se vocês não fizerem alarde a respeito delas, então serão verdadeiramente sábios!“, Tiago 3.3-13

José San Martín Camiña Neto, editor

Cristãos (in)úteis

valente2

E disse-lhes: Por que sois tão tímidos? Ainda não tendes fé?“, Marcos 4:40
Ele perguntou-lhes: “Por que vocês estavam com tanto medo? Vocês ainda não tem
confiança nenhuma em Mim?” (BViva)

Na oração esta manhã, no templo, uma irmã pediu oração por uma jovem senhora que está pensando em se divorciar do marido — segunda ela — violento, ignorante e coisa e tal… Porém, aceitou o conselho dessa irmã para repensar seus próprios defeitos e falar com Deus a respeito do assunto antes de tomar qualquer decisão. Inclusive a nossa irmã fez um propósito de interceder pela família especificamente por um período.

Se somos sal e luz de Deus neste mundo de trevas e degeneração moral e espiritual, levemos a Luz divina aos lugares escuros àqueles que estão sem rumo. Não permitamos que famílias se desfaçam na nossa frente sem antes intervir em nome de Deus!
Se discernimos a ação do Diabo, que criou a necessidade de um milagre, não tenhamos dúvida: É exatamente nós que temos de supri-la!

Levemos a Verdade libertadora aos ignorantes. Sejamos a voz, as mãos, os pés de Cristo na terra arrasada pelo pecado. Se um dia nos depararmos com alguém caído, baleado ou entre as ferragens de um carro sinistrado, falemos de Deus e da salvação para que essa alma encontre a Paz e Salvação antes do último suspiro. Casos de vida e morte sempre terão a ver conosco!

Quantos a caminho do suicídio, do assassinato, do acidente, do coma, da paraplegia antes passam por nós nos caminhos da vida… E nós os ignoramos por não estarem nas nossas ‘prioridades’.

Se você e eu estamos confortáveis nesta esfera terrena, insensíveis ao grito dos perdidos, há algo terrivelmente errado com nossa condição de escravos de Deus, filhos de Deus, embaixadores de Deus e nossa religião não passa de perda de tempo…

Se somos meros frequentadores de templo, crente de nome, sem o envolvimento necessário com as pessoas que formam o Corpo de Cristo, e atentos ao gemido das ovelhas sem Pastor, não passamos de imprestáveis.

É hora de decidir se agradamos a nós mesmos e nossos interesses inúteis ou agradamos a Ele e fazemos a Sua Vontade.

Enquanto nosso tempo vai se esgotando, Ele está esperando… Esperando… Esperando…

Mas, quanto aos tímidos… a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte“, Apocalipse 21:8
Mas os covardes que deixam de me seguir e voltam atrás… o destino deles é no Lago que queima com fogo e enxofre. Esta é a Segunda Morte” (BViva)
José San Martin Camiña Neto, editor