Missões no coração de todos os cristãos

Digno-de-confianza-2

Há tempos ouvimos que há três formas de fazer missões, quais sejam: 1. Orando, 2. Contribuindo, e 3. Indo ao campo missionário. Logo, quem não possui recursos suficientes pode se ver excluído da segunda opção. Quem não sente uma “chamada” e nem possui algum dinheiro extra, pode se ver apenas na obrigação de orar pelos contribuintes e enviados. E alguém com dinheiro de sobra pode pensar que está dispensado de orar e ir… Mas a boa notícia é que todos, indistintamente podem realizar as três metas missionárias!

Mais do que no “coração de Deus”, missões deve ocupar o coração de cada criança, adolescente, jovem, adulto, meia-idade, bem como dos anciãos

1. ORAR: É a vida, a respiração espiritual do crente. Sem oração não apenas as missões, mas tudo pode dar errado e perde-se a comunhão com Deus. “Vigiai e orai”, “Orai sem cessar” são ordens tanto do Senhor como dos apóstolos. Logo, orar é obrigação dos que contribuem e também dos que vão para um lugar determinado proclamar a Verdade.

2. CONTRIBUIR: Se a viúva pobre com suas moedinhas foi para Jesus, a que “depositou mais do que todos os que depositaram na arca do tesouro” (Lucas 12:41-44), então todos podemos entregar nossa oferta missionária com alegria, independentemente do valor que tenhamos condições de oferecer. No mais, Deus é o Dono do ouro e da prata. Apenas graciosamente dá a todos a oportunidade de participar das bênçãos destinadas aos que compreendem que “mais bem aventurada coisa é dar do que receber”, Atos 20.35.

3. IR AO CAMPO: A ordem de sair ao mundo e pregar o Evangelho é dada a todos os salvos. Somos enviados e nos tornamos missionários no exato momento em que nos convertemos a Cristo. Primeiramente devemos ir aos nossos parentes, vizinhança, local de trabalho, escola, pessoas com quem cruzamos no dia a dia, e assim por diante. São nossas “Jerusalém”, “Samaria”, “Judéia” (Atos 1.8). Há aqueles que o Senhor escolhe para ir mais longe – aos “confins da terra”. Portanto, também neste quesito, todos podemos nos enquadrar.

Mais do que no “coração de Deus”, missões (que é simplesmente o amar e levar a mensagem da salvação às almas perdidas) deve ocupar o coração de cada criança, adolescente, jovem, adulto, meia-idade, bem como dos anciãos. Isto é fazer missões além da teoria e frases bonitas. Isto é ser mais do ser um mero frequentador de templos. Isto é cumprir diariamente — na nossa casa, bairro, cidade, país ou no exterior — a Missão maior e mais urgente da Igreja na Terra: Salvar almas.

E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado. E estes sinais seguirão aos que crerem: em meu nome, expulsarão demônios; falarão novas línguas; pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e imporão as mãos sobre os enfermos e os curarão”, Marcos 16.15-18.

José San Martín Camiña Neto – Jornalista, ministro evangélico, educador cristão